sexta-feira, junho 05, 2009

Hallelujah


A manhã acordou cinzenta e fresca. E pensei: tarda nada, começa a chover. Que rico fim de semana que se aproxima. Depois das habituais abluções matinais, 'bora lá enfrentar o trânsito a caminho do trabalho. Ligo o carro, a luz da reserva a acender - pôças outra vez, 'inda ontem pus petróleo, raisparta - coloco o rádio no painel e... hallelujaaaah... hallelujaaaah! O querido Jeff Buckley a dar-me alegrias logo de manhã! E o sol resplandeceu e entrou directo no meu pobre e mastigado cérebro e brilhou o resto da manhã cá dentro por entre as nuvens e a chuva que entretanto começou a cair. Mais uma vez constatei aquilo que sempre soube: Music was my first love and it will be the last. Music are the future and music are the past. E pensei: esta música merece um post. E como uma vez disse Bono Vox "Jeff Buckley é uma gota cristalina num oceano de ruídos". Hallelujah para ti também, pequeno, onde quer que estejas.

10 comentários:

Menina do mar disse...

É pá... adorei o «raisparta»!
:)
Beijos e bom fim de semana

PAULO LONTRO disse...

LOL...
Há musicas que têm essa força.
Especialmente quando com elas vem uma memória especial...

Dulcineia (Lília) disse...

hummm. Bom vir aqui. Não há criminosas femininas, nem actores para decifrar, rs

Já sabemos o truque para manhãs "raisparta" - música, embalar-nos na paixão de algo. Até ficarmos solarengos, rs.

À pala do post, após, só ouvia o J miles. A canta rcom paixão a paixão pela música. Uma das m/canções favoritas.

Bom fim de semana. Cheio de sol!
Abraço

roserouge disse...

Menina do Mar, essa expressão "raisparta" acho que é dum livro qualquer do Eça, não me lembro qual. Ou de todos, não sei.

Lontro, sempre que oiço Jeff Buckley lembro-me do meu pobre e velhinho Renault 5 que me levou a tanto sítio mas também me deixou apeada tantas vezes. Fartei-me de ouvir o "Grace" nesse carro. Lá ia eu pró trabalho de manhã naquela chaleira a ouvir o "Everybody Here Wants You". Houve uma vez que... bem, acho que vou ter que um dia fazer um post dedicado a esse carro.

Lília, essa canção do John Miles, é intemporal. Há-de acompanhar-me sempre.

expressodalinha disse...

Estás mesmo pronta para o Baile do Liceu que estou a organizar!

Dulcineia (Lília) disse...

Roserouge, tens razão: qualquer coisa que unclua paixão , é sempre intemporal. Aquela música marcou uma geração.

JOrge,
Toca a nomear a roserouge como secretária do tal baile... aínda consegue um David Bowe ou Companhia no dito, rs

Bom fim de semana

roserouge disse...

Jorge, tenho ali uns vestidinhos que ficariam mesmo bem num bailarico! Não tem que ser branco, pois não?!...

expressodalinha disse...

Não. Pode ser às cores. Tudo muito sixties...

Alice Salles disse...

Esse homem era demais... Ainda não entendo como pode ter morrido de uma maneira tão... besta!

roserouge disse...

Podes crer, Alice. Anda por aí tanta gente ruim e cruel e sem utilidade nenhuma que nunca mais morre e vai um homem destes assim, sem mais nem menos, afogado num rio. Que disparate.