terça-feira, março 24, 2009

Tarântula

Tarântula, o único livro de ficção assinado por Bob Dylan, foi escrito em 1966 - o mesmo ano em que o músico norte-americano produziu Blonde On Blonde - e denota influências do movimento modernista, apropriado por poetas beat e escritores como Jack Kerouac e William S. Burroughs. A liberdade estilística, tanto em prosa como em poesia, é notória. Ora reparem bem nesta pérola da poesia beat-generation-flower-power-s.francisco-flowers-in-your-hair-sal-paradise-the-naked-lunch-blowin'-in-the-wind-howl-can-you-get-me-a-cigarrete-imbecil-sagrado-ah-haa-ih-iiiih-e-dean-esfregava-o-peito-e-a-barriga...

passei cinco horas sem uma gota
de água. acho que estou pronto para
o deserto. queres vir?
vou
levar o meu cão. ele é sempre
tão divertido, apanho-te
às sete
atenciosamente, Porco.
Bob Dylan - Tarântula, 1966

5 comentários:

Eduardo P.L disse...

Grande Bob!

roserouge disse...

Um bocadinho alucinado, não?!

Menina do mar disse...

Deve ser primo do papagaio (alucinação genética) Rsrsrs(:

roserouge disse...

Boa, Selma, boa! rsrsrs...:D

Georgia disse...

Sem água nem pensar, rs.

Gosto de algumas músicas dele.