domingo, março 01, 2009

Rock/Pop Timeline - 1 de Março

A 1 de Março de... 1969 - Jim Morrison, vocalista dos Doors, é preso durante um concerto da banda no Dinner Key Auditorium em Miami, Florida, sob acusação de "exposição indecente". A 23 de Março do mesmo ano, o Presidente dos EUA, Richard Nixon enviou uma carta de apoio público aos cerca de 30.000 apoiantes da causa "Rally for Decency", grupo de cidadãos defensores da moral pública e bons costumes e que, sentindo-se "ultrajados" pelo facto ocorrido, organizaram nesse dia uma assembleia, no Orange Bowl, também em Miami. Quarenta anos mais tarde, o guitarrista dos Doors, Robbie Krieger declarou à revista MOJO que, depois desse incidente, a banda foi banida de todos os concertos ao vivo, pois ninguém se atrevia a contratá-los. Recorda ele: "Foi um completo exagero, aproveitaram para extrapolar a coisa. Não aconteceu nada disso nesse concerto. O que se passou foi que Jim estava atrasado porque tinha perdido o avião, chegou já um bocado bêbado e andava com a mania da nudez. Tinha assistido, alguns dias antes, a uma peça de teatro no Living Theatre em LA, em que os actores se despiam em palco e se misturavam e interagiam depois com o público e acho que ele queria fazer ali a mesma coisa. Na verdade, ele nunca chegou a tirar o coiso para fora. Se o tivesse feito, de certeza que alguém teria tirado um fotografia e haveria provas disso. Jim já estava farto da sua própria imagem".
1979 - Os Police dão início a uma turné de 29 datas pelos EUA, começando pelo The Whisky em Los Angeles.
1989 - O album "Rumours" dos Fleetwood Mac, lançado 12 anos antes, alcança o registo de 13 vezes album de platina nos EUA.

3 comentários:

expressodalinha disse...

O episódio dos Doors é pior que a pornografia de Braga. Mas americanos são assim mesmo. Uns puritanos hipócritas!

roserouge disse...

São horríveis e quanto mais para o interior, pior. Apesar de isto se ter passado em Miami. Aliás, o filme "Easy Ryder", retrata muito bem todo aquele obscurantismo medieval em que ainda vivem certas pessoas.
Mas já agora, não acho o tal quadro do Caubert ou lá como se chamava o pintor, nada de especial e acho dum profundo mau gosto escolher aquilo como capa de livro. O mundo está cheio de imagens infinitamente mais sensuais e eróticas, muito mais belas e sugestivas. Apesar de nada justificar a atitude prepotente e ignorante da polícia. Não é um quadro pornográfico. É simplesmente feio.

Eduardo P.L disse...

É verdade. Nos USA o puritanismo é de fazer raiva!