domingo, março 22, 2009

Phillipe de Rothchild, o Enólogo...

E porque hoje é domingo e tenho o cérebro meio embaciado e estou cheia de preguiça para fazer posts, aqui vai uma gracinha que, espero, vos alegre o dia...
Juram os entendidos que esta foi uma situação real que ocorreu já lá vão muitos anos. Um homem entrou com a namorada no restaurante do Ritz Carlton de Paris e pede um Mouton de 1928. O criado volta com uma garrafa de decantação cheia de vinho e deita um pouco no copo para o cliente provar. Este pega no copo, cheira o vinho e pousa o copo na mesa, comentando agastado: "Isto não é um Mouton de 1928"!!! O criado assegura-lhe que é e rapidamente, cerca de 20 pessoas rodeiam a mesa, incluindo o chefe e o gerente do hotel que o tentam convencer que o vinho é mesmo um Mouton de 1928. Finalmente, alguém resolve perguntar-lhe como sabe que não é um Mouton de 1928. "O meu nome é Phillipe de Rothschild e fui eu que fiz esse vinho". Ouviram-se ahs e ohs de consternação geral. Por fim, o criado original dá um passo em frente e admite que deitou na garrafa de decantação um Clerc Milon de 1928, acrescentando: "Eu não consegui suportar a ideia que ia servir a nossa última garrafa de Mouton 1928. Mas o senhor também é o proprietário dos vinhedos de Clerc Milon que ficam na mesma aldeia do Mouton. Faz a vindima na mesma altura, a mesma poda, esmaga as uvas na mesma ocasião, põe o mosto nos mesmos barris, engarrafa-os ao mesmo tempo e até usa ovos das mesmas galinhas para os refinar. Os vinhos são iguais, apenas com uma pequeníssima diferença geográfica". Rothschild puxa o criado junto a si e murmura-lhe ao ouvido: "Quando regressar a casa esta noite, peça à sua namorada para despir a roupa interior. Enfie um dedo no orifício da frente e outro no traseiro e veja a diferença de cheiro que pode existir numa pequeníssima diferença geográfica..."

7 comentários:

Eduardo P.L disse...

Essa é ótima! E como o bom vinho, quanto mais velha melhor!!!!srsrs

Bjs e um ótimo fim de Domingo!

peri s.c. disse...

Esse Rothschild era tão bom de nariz que nem precisaria enfiar seus dedinhos na Condessa, sentiria a diferença de odores à distância." - Madame Rothschild, percebo que peidaste "

roserouge disse...

Ele devia perceber isso mesmo antes de chegar a casa, só de chegar ao portão... oh, madame outra vez couves? Para além de ser um bom nariz, esse Rothschild tinha sentido de humor...rsrsr. Imagina a cara do criado...

Menina do mar disse...

Rsrsrsrsrsr
(:
Demais...

João Menéres disse...

Nunca a tinha ouvido, acreditas ?
Valeu teu domingo meio embaciado.

Georgia disse...

Eu adoro um vinho tinto...huuuuuuuuum!!!

roserouge disse...

Eu também. Os do Alentejo, são os meus preferidos...