segunda-feira, março 02, 2009

E se...?

Joseph Mallord William Turner (1775-1851).
Light and Colour (Goethe's Theory) - The Morning After the Deluge
E se…?
Nascer com pele velha e enrugada,
careca, desdentado e macilento,
nariz pingando, a líbido apagada,
humor assaz azedo e quezilento.

Torcido o esqueleto e sem alento,
a força reduzida a quase nada!
…Depois, sentir que o processo, lento,
lento, inverte a sua caminhada.

E então a pele alisa, a gota cessa,
pujança brota, veste-se a cabeça
…em pleno se revela o humano-instinto.

Ficar aí… gozando a plenitude
do “processo”em robusta juventude
até que num orgasmo seja extinto!
António de S. Tiago

7 comentários:

Liberté disse...

Caramba!
Imaginava por aí tambem, um "retrocesso" humano.

Modeste a parte belissima poesia, com a maça.!

Obrigada!
Rose

roserouge disse...

Liberté, o poema é do meu Pai, de vez em quando ponho aqui umas poesias dele. Tem mais por aí, é só procurar. Bj.

Eduardo P.L disse...

Bé,

GRANDE poeta seu pai!
Vou ler os outros! Não sabia!
Você é cheia de mistérios....srsrs

roserouge disse...

Eduardo, o primeiro de todos publiquei na 1ª Tertúlia Virtual, sobre o "Melhor Lugar do Mundo" em Julho, está no blog do Jorge, o meu ainda não existia. Tem outro na tertúlia "Tempo" outro na semana passada e este. Obrigada.

João Menéres disse...

Há anos que ando a pensar se assim não devia ser.

Mas o teu Pai colocou em versos maravilhosos essa questão.

Pelo menos, já são dois a pensar assim...

Olha a maçã, mas esta é do Turner.

Parabéns madrinha. Começo a topar donde te vem tanta energia...

josé louro disse...

Faz lembrar o filme dos oscares. Do qual não gostei, ao contrário desta poesia.

Claire disse...

Parece-me completamente indiferente o sentido, que por elas temos que passar na mesma.