terça-feira, janeiro 13, 2009

Parabéns, Xutos & Pontapés!


13 de Janeiro de 1979. Noite fria. Na Sociedade Alunos de Apolo em Campo de Ourique, está agendado o primeiro concerto duma banda punk chamada Xutos & Pontapés, que ninguém conhecia. Eu morava lá perto e decidi que queria ir ver aquele concerto. Saí de casa, dei a volta ao quarteirão e quando lá cheguei à porta, fiquei espantada por não haver aquelas hordas de pessoal de cabelo espetado cor de laranja e verde alface e com alfinetes na boca que espera ver. Que estranho, pensei. Na realidade, não havia praticamente ninguém à porta. As únicas pessoas que lá estavam eram os músicos, à espera dos clientes, e mais duas ou três pessoas da organização. Que coisa estranha, será que me enganei?
- Boa noite, é aqui que vai tocar uma banda chamada Xutos & Pontapés?
- Sim, é aqui mesmo. Queres entrar?
- Quero, quanto custa o bilhete?
- Oitenta escudos.
- Oitenta? Deixa ver se tenho que chegue...Rebusquei os bolsos das calças e não tinha dinheiro que chegasse. Uma miúda de província a estudar em Lisboa no primeiro ano de faculdade, com o dinheirinho todo contado ao tostão...
- Olha, afinal não vai dar, só tenho 50.
- Falta-te quanto? Trinta? Não vais nada embora, anda cá. Pessoal, arranjem lá aí umas moedas, ela precisa de 30 paus para entrar...
E foi assim que eu assisti ao primeiro concerto dos Xutos! Foram os próprios músicos e demais elementos da organização que completaram o que faltava! Fui um dos poucos gatos pingados que lá estavam nessa noite. Tenho pena de não ter guardado esse bilhete! Mas há coisas que a gente não esquece. E muito menos se esperaria que eles durassem 30 anos. Parabéns, rapazes!

10 comentários:

João Menéres disse...

Cena extraordinária com protagonistas igualmente raros (tu e eles).
Claro que desconhecia o episódio!!!
Mas, passo a gostar ainda mais deles e ...de ti.
E NÃO GUARDASTE O BILHETE !!!

roserouge disse...

Poças, João, não imaginas como me arrependo. Se calhar até nem havia, não me lembro já! Ou era um daqueles papelinhos descaracterizados, sei lá...

josé louro disse...

Meia hora. Estive meia hora aqui. fantástico este blog.

João Menéres disse...

RR

E a forma como descreves este episódio ?

É um delírio !!!

expressodalinha disse...

Nunca vi um concerto deles, mas acho-os simpáticos. Ao vivo imagino que tenham muita energia. Excelente história.

PAULO LONTRO disse...

Curioso roserouge, tenho uma historia parecida, (ainda que, não com essa fantástica particularidade de ser o 1º concerto) pelo ano 1980, jogava eu andebol e no fim de um jogo no pavilhão do, Académica do Porto, na rua Costa Cabral fui abordado por um grupo de tipos a vender bilhetes (papelinhos escritos à mão) para um concerto rock duns tais UHF…
Diziam: querem ver um concerto porreiro, são só 20 escudos!
Alguns comigo compraram o bilhete e lá fomos para o pavilhão vizinho ver o tal concerto.
Qual o nosso espanto quando entramos no pavilhão e deparamos com um comício do PCP.
Uma das bancadas, em frente ao palco estava composta, mas eu não fazia a ideia que o concerto era parte do comício… já lá estava e lá continuei. Na altura não achei muita piada aos discursos quando eu queria era ver o concerto.
Não conhecia o grupo confesso, a música não era ainda a minha onda, mas lembro-me que ouvi pela primeira vez duas musicas que gostei e nunca tinha ouvido nem na rádio, RUA DO CARMO e CAVALOS DE CORRIDA…

Spark disse...

Quando digo que ainda não vi nenhum concerto dos Xutos, ninguém acredita. Mas infelizmente é verdade. Ainda por cima já tive em recintos onde eles iam começar a actuar, mas acabava sempre por não ficar. E gosto imenso deles.
Xutos é uma das bandas que talvez os Portugueses tenham visto mais vezes ao vivo. E mais vergonhoso ainda é ter o Zé Pedro como meu vizinho. He He.

Parabéns Xutos!!!

roserouge disse...

Spark, manda lá um abraço ao Zé Pedro e que eu lhe agradeço ter-me emprestado algumas moedas naquela noite para eu entrar no seu próprio concerto...eheheh...parece coisa de filme cómico...

Paulo, acho que nunca vi os UHF ao vivo, nunca foi uma das minhas bandas de eleição. Um deles, o Renato Gomes, foi meu colega no ISLA e já nessa altura ele me dizia que tocava numa banda. Gosto de algumas músicas deles, mas há ali qualquer coisa que não entra...

Jorge, depois desse primeiro concerto, do qual já não me lembro muito bem, vi vários, os rapazes são muito bons ao vivo.

José Louro, obrigada pelo elogio, tb gosto muito do teu blog, vou lá todos os dias...

PAULO LONTRO disse...

Pois há, há algo que "não entra" e eu tenho a minha opinião, as letras não são desinteressantes e o som também não, o problema é o Vocalista.

O Manuel Ribeiro tem uma voz boa e na rádio funciona, mas ao vivo... é tudo mau, não tem aspecto de rocker, aquele cabelo e a cara lavada não condizem com uma banda daquelas. (estamos a falar de imagem, eu não conheço o senhor de lado nenhum bem entendido…)

Pode ser a opinião mais ridícula do mundo mas é a minha!
Quem tiver outra que se chegue à frente.

(O homem parece que não envelhece, já reparaste que tem a mesma cara há 30 anos?)

roserouge disse...

O problema com esses gajos é não haver ali sexo. São uma banda com uma carga sexual inexistente, muito amorfos e o vocalista, que é o frontman, não convence ninguém. O rock é sexo.