terça-feira, janeiro 13, 2009

Maria da Conceição


No outro dia quando fiz aquele post sobre o livro do Jim Morrison, veio-me à memória uma história do passado. Quando eu andava no liceu lá em Abrantes, há 30 anos atrás, tínhamos uma colega que se chamava Maria da Conceição. A São, como lhe chamávamos, tinha uma paixão absolutamente platónica e até mórbida pelo Jim Morrison. Não chateava, era simpática e afável, mas vivia num permanente estado contemplativo e de quase alheamento total com o mundo que a rodeava, apesar de ser boa aluna. Tudo por causa do Jim Morrison. Sabia as músicas todas dos Doors, as letras todas, sabia tudo. Todos a achávamos meio pirada, mas ao mesmo tempo achávamos-lhe piada. Então, Sãozinha, o Jim veio ter contigo esta noite? Ela ria-se muito, encolhia os ombos e a vida continuava. Quando terminou o liceu (ela era mais velha do que eu uns dois anos ou assim) quis continuar os estudos. Naquela época, para nós miúdos de província, se quiséssemos continuar a estudar na universidade, só tínhamos 3 hipóteses: Lisboa, Porto ou Coimbra. Não havia cá nada destas modernices que há agora de faculdades por todo o lado. Como os pais dela eram pessoas de limitados recursos financeiros e havia mais uns 4 ou 5 irmãos, não tinham possibilidades de a manter a estudar em Lisboa ou outro sítio qualquer. De repente, a São desapareceu. Alguns anos depois vim a saber que ela se tinha inscrito na Faculdade de Letras em Lisboa e se tinha licenciado. Vim a saber também que durante esse tempo todo tinha trabalhado em limpezas, para se sustentar e não sobrecarregar os pais que não tinham como ajudá-la. Durante 5 anos, a São esfregou escadas e lavou retretes durante o dia, ia às aulas à noite e conseguiu acabar o curso no tempo certo. Eu não tenho esta força de vontade, mas gostava de ter. Pessoas como ela, merecem todo o meu respeito e reconhecimento. Maria da Conceição, onde quer que estejas, recebe a minha mais profunda vénia de admiração e espero que tenhas encontrado o teu Jim Morrison.

8 comentários:

Señor R disse...

Preciosa historia, y muy bien elegida la imagen. Hoper es perfecto para estos casos :)

GUGA ALAYON disse...

vai ver que a morte dele a libertou. Light up her fight!
bjs

GUGA ALAYON disse...

her fire, oras pois

roserouge disse...

Guga, o homem morreu em 1971 e estávamos em 76/77...por isso é que aquela paixão era móbida! A moça vivia obcecada por um defunto...

guga disse...

nossa! como estou velho!

peri s.c. disse...

Mais uma das viúvas de Jim Morrison.

roserouge disse...

Peri, é isso aí, era uma coisa do outro mundo!! A moça era um doce, mas estava sempre com o olhar perdido, sabe-se lá aonde!!! No Além, provavelmente...LOL!

Alice Salles disse...

Que linda, Be!(to sem acento) Me vi nessa historia! :D hahahah (quem nao se apaixona pelo Jim????)