terça-feira, maio 26, 2009

Factory Made

- I think everybody should like everybody.
- Is that what Pop Art is all about?
- Yes, it's liking things.
Estou confusa. E não gosto nada de me sentir confusa nem de ter dúvidas. Senão reparem: no suplemento Ípsilon que saiu com o jornal Público na passada sexta-feira, vem um artigo bastante interessante sobre Andy Warhol, sobre o significado da sua obra artística no geral e sobre uma série de exposições quase em simultâneo n'algumas cidades da Europa e opiniões de diversas pessoas que com ele privaram ou não. Estava eu toda contentinha dentro do carro à espera da minha filha e a ler o artigo quando, a dada altura, uma história me fez parar e voltar atrás para ver se estava a ler bem. Na página oito, no canto inferior direito diz assim: "Recentemente, o coreógrafo francês Jerôme Bel, na revista Les Inrockuptibles, contava uma história exemplificativa. Um dia Andy terá convidado para jantar em sua casa John Lennon e Yoko Ono, o coreógrafo Merce Cunningham, o músico John Cage e Madonna. Para entrarem no apartamento, tinham de descalçar os sapatos. O único protesto veio de Madonna que terá dito que lhe era mais desconfortável mostrar os pés que os seios". Aqui parou tudo. Quem? Madonna? Há aqui qualquer coisa que não bate certo. Pensem comigo: como todos nós sabemos, John Lennon foi assassinado em Dezembro de 1980. Para esta cena do jantar ter acontecido, só pode ter sido antes, certo? E tanto quanto sei, em 1980, ainda andava a dita Madonna aos caixotes do lixo em Nova Iorque e a tirar retratos toda nua cheia de pêlos nas pernas, nas axilas e partes pudibundas (eu vi as fotos, que coisa feia). O seu primeiro hit-single, Holiday, foi lançado em 1983. Ou seja, acho muito pouco provável que ela estivesse nesse jantar, não acredito que Warhol soubesse sequer quem era aquela pequena do Midwest. Das duas uma: ou o artigo foi mal traduzido (o que não me admira nada) ou o tal Jerôme Bel fartou-se de inventar para fazer bonito na entrevista à tão famosa e excelente revista francesa. Ou fui eu que percebi tudo mal? Se algum de vocês se quiser dar ao trabalho de me tirar as dúvidas, façam favor, a casa é vossa. Ah, mas tirem os sapatos à entrada, por favor.

10 comentários:

disse...

Madonna ...Andy??? tens toda razão não bate!!

roserouge disse...

É, não é?

Caçador disse...

Provavelmente é o gajo a armar ao pingarelho.

Alice Salles disse...

Não bate nadica, até porque o Andy não ia se sujeitar a andar por ai com aquela chatinha hihihihihi

El Matador disse...

http://warholinfluence.blogspot.com/2006/10/andy-warhol-on-early-madonna.html

roserouge disse...

El Matador, fui ao blog que indicaste mas a questão aqui são as datas. A do site é de 1984, aí já ela estava a ficar conhecida, já tinha lançado um single ou dois, acho que o Borderline saíu logo a seguir ao Holiday. É natural que aí já Warhol a conhecesse. Mas em 1980?

Eduardo P.L disse...

Concordo com a Alice. Sempre achei a Madonna uma chata! O Andy, com muito mais razão acharia!

João Menéres disse...

Chata ou não chata, a data que a RR descascou não encaixa. E a Madonna desse ano o Andy se calhar preferia que se não descalçasse...

Bem aproveitado o teu tempo, bravo.

Um bj.

roserouge disse...

O que assombra aqui a coisa é o fantasma do John Lennon! Se o Lennon estava nesse jantar a Madonna não podia lá estar também! Portanto, como eu sempre digo, não se pode acreditar em tudo o que se lê! Certo?!

disse...

Certíssimo!!!