segunda-feira, agosto 30, 2010

Slow Train Coming

Entre 4 de Setembro e 30 de Janeiro de 2011, o Museu Nacional de Arte da Dinamarca, em Copenhaga, mostra um novo capítulo da carreira do Dylan pintor.
Train Tracks (2009)

Bob Dylan pinta e desenha frequentemente desde os anos 60 - a capa de "Self Portrait", de 1970, é da sua autoria - mas só nos últimos três anos tem mostrado este lado da sua vida artística em exposições. Entre 4 de Setembro e 30 de Janeiro de 2011, o Museu Nacional de Arte da Dinamarca, em Copenhaga, mostra um novo capítulo da carreira do Dylan pintor. Depois de aguarelas e desenhos de pequena dimensão, o americano voltou-se para os acrílicos e para obras de grande escala. "The Brazil Series", a primeira exposição de pinturas de grandes dimensões de Dylan, inclui 40 pinturas e oito desenhos criados nos últimos dois anos.
As obras mostram "retratos da vida diária nas cidades e no campo", avistados por Dylan em viagens pelo Brasil, informa uma sinopse da exposição:
"Vinicultores, ciganos, políticos, apostadores e 'gangsters'.
Uma grande colecção de motivos e assuntos que acentua o fascínio do artista pela diversidade do Brasil. As obras surgem quase como registos antropológicos, despidas de quaisquer sentimentos românticos, preconceitos ou comentários sociais. O motivo em si mesmo, o seu potencial de composição, e a narrativa que lhe está implícita parecem ser as coisas que mais interessam ao artista".

Dylan fez esboços nos locais, em guardanapos ou sacos de papel, que funcionaram como pontos de partida para o trabalho no ateliê, onde adensou a linha narrativa por trás de cada imagem, seguindo a tradição figurativa do século XX, na linha de pintores como George Bellows e Thomas Hart Benton, refere o mesmo texto. É uma obra que não complementa ou dá novos sentidos às canções de Dylan, antes funciona como um universo específico. "Se pudesse expressar o mesmo numa canção, teria escrito uma canção", disse Dylan durante a preparação da mostra.

Coincidindo com a abertura da exposição, será editado o livro "Bob Dylan. The Brazil Series", a primeira análise com profundidade crítica e histórica da obra visual do músico.

Fonte:
Ípsilon, 13/Agosto/2010

6 comentários:

João Menéres disse...

É o teu amigo cantor de intervenção?
Engraçado...

Beijos.

roserouge disse...

João,
amigo é como quem diz... rsrsr. Mas gosto dos quadros dele, pois gosto. Um rapaz muito completo, este nosso Bob Dylan. Pôças, apetecia-me tanto ir a Copenhaga ver esta exposição...

João Menéres disse...

Tenta o Euromilhões ou o mais modesto Totoloto!!
Uns euros podem resolver tudo (ou talvez não...).

Beijo.

Quase Blog da Li disse...

Por aqui também se vê:
http://disembedded.smugmug.com/photos/swfpopup.mg?AlbumID=13441146&AlbumKey=wvZhk

um beijo Roserouge

peri s.c. disse...

" vinicultores, ciganos, políticos, apostadores e gansgsters ", eh, eh, por onde terá andado Bob Dylan em suas excursões aqui no Patropi ?

Nenhuma pintura com mulatas esculturais, sambistas, jogadores de futebol ? Não conheceu nenhum destes espécimes " turísticos e típicos " aqui da terrinha ? Ora, pois.

Quase Blog da Li disse...

16/SETEMBRO 2010
MUITOS E BONS !
UM BEIJO ROSEROUGE