sábado, maio 29, 2010

Un Certain Regard

Em Cannes, o jornalista perguntou a Manoel de Oliveira, que tem já 101 anos e faz filmes desde 1929:
- O senhor nunca se sente cansado?
E Oliveira respondeu:
- Eu nunca me canso, porque nunca tenho pressa de nada.

Fonte: Cahiers du Cinéma, Spécial Cannes - Maio 2010.

4 comentários:

Cravo disse...

Numa recente visita de um certo senhor muito famosos mundialmente, comoveu-me particular e profundamente a doçura do Sr. Manuel de Oliveira - a sua emocionada e vibrante intervenção fez-me lembrar a minha Mãe, que costuma dizer perante exemplos de lúcida longevidade "Se calhar, Deus esqueceu-se de o chamar...".
E suspiro: ainda bem! Faz mais falta por cá!

roserouge disse...

Uma vez, em Cannes, John Malkovich esteve presente (a promover um filme ou membro do juri, não sei bem) e ficou muito admirado com a longevidade do senhor porque pensava que ele tinha nascido em 1929. Quando lhe lembraram que tinha sido em 1929 que tinha feito o primeiro filme e nascido em 1908, Malkovich ficou de boca à banda! Isto li eu numa entrevista dada por ele. E no ano passado, Clint Eastwood, levantou-se do seu lugar e fez questão de cumprimentar Oliveira pessoalmente. De facto, a energia e lucidez deste senhor aos 101 anos são admiráveis!

expressodalinha disse...

Qd se chega a esta idade as críticas negativas não fazem sentido.Nunca consegui ver um filme dele. Já saí em dois a meio. Viva Oliveira!

roserouge disse...

Devo confessar que também nunca consegui ver nenhum filme dele do princípio ao fim. Tem uma forma muito peculiar e única de fazer cinema. Há quem o ache um génio. Outros, uma seca.